Seja Bem-vindo ao Profissão Bombeiro

Entre agora!

Faça parte da comunidade e inscreva-se hoje!

Conteúdo mais visto

Outros posts

Nada encontrado

Riscos ao Bombeiro pelo não acionamento do AirBag em colisão

Começou a valer neste ano, desde 1º de Janeiro, a obrigatoriedade de que todos os carros novos no Brasil tenham airbag. A medida vale para os zero quilômetro fabricados a partir deste ano, porém continua permitida a circulação de carros de outros anos que não possuam os equipamentos.

Apesar do dispositivo airbag não ser novidade nos veículos que circulam no Brasil há muito tempo, com a obrigatoriedade isso vai se tornar inevitavelmente algo muito comum de se encontrar nos veículos que circulam nas nossas  estradas, inclusive nas ocorrências.

Para as vítimas o airbag irá minimizar os efeitos de uma colisão ou capotamento, evitando danos maiores nestes casos, mas para nós Bombeiros pode ser um perigo! Como assim?

Caso estejamos atendendo um veículo de colisão frontal que possua airbag, mas este não tenha sido disparado por falha dos sensores ou outros motivos, temos montado um ambiente de socorro perigoso para nós Bombeiros, e a depender do caso, também para a vítima.

Acontece que se o airbag não disparou na hora da colisão isto não quer dizer que ele não poderá ser acionado subitamente durante o nosso atendimento, podendo causar outro acidente dentro do veículo, onde o Bombeiro pode se machucar e agravar o estado da vítima. Para exemplificar segue o vídeo abaixo que mostra exatamente este cenário descrito acima (ocorrência real).

 

Perceba que o Bombeiro estava atendendo e acabou sendo atingido pelo airbag, as causas deste acionamento retardado pode ter diversas origens, já que os métodos de acionamento dos airbags nos veículos podem variar de montadora para montadora, e de modelo para modelo. Os métodos mais comuns de acionamento  de airbag são por pressão(metal retorcido na frente do veículo) ou por sensor de redução de velocidade, ambos podem não funcionar no momento da colisão e por qualquer movimento brusco dentro do veículo ou curto-circuito acabamos os acionando.

Para nos proteger temos algumas sugestões:

1 - Evitar o raio de ação dos airbags: Sempre que adentrar num veículo sinistrado que possua airbag mas que não tenha sido acionado, evite ficar entre o painel/volante e a vítima, sempre guardando uma distância mínima de 60 cm ou mais;

2 - Protetor ou contetor de airbags: Este é um equipamento simples confeccionado com restos de cintos de segurança(ver fotos) que têm o objetivo de envolver o volante evitando que mesmo que o airbag seja acionado ele não atinja o Bombeiro ou a vítima.

 

Vidas alheias, riquezas salvar!



Compartilhe

Comentários (1)